Clínica Essenze

Implantes

Implantes

Implantodontia é um ramo da Odontologia que se destina ao tratamento do edentulismo com reabilitações protéticas suportadas ou retidas por implantes dentários. Com a Implantodontia são feitas desde reabilitações unitárias ate grandes reabilitações totais fixas ou removíveis.

All-on-4 é uma prótese fixa sobre 4 implantes

All-on-4 é responsável por mudanças drásticas no sorriso através de uma técnica cirúrgica dentária que permite a colocação de quatro implantes, com próteses fixas, na região anterior dos maxilares. Este procedimento é muito utilizado na reabilitação de pacientes desdentados, possibilitando a colocação de dentes imediatamente após a cirurgia. Os 4 implantes eixo são feitos nos maxilares que possuem maior densidade óssea, por isso apresentam a maior taxa de sucesso nestes casos, justificado pela frequente perda óssea acompanhada da perda dos dentes. Este tipo de implante nem sempre necessita de enxerto ósseo. O procedimento consiste na fixação de uma prótese totalmente personalizada, também chamada de ponte, fixadas em apenas 4 implantes de titânio. Neste caso os implantes funcionam como “pilares” que irão fixar as próteses (pontes).

Uma opção de tratamento eficaz.

A solução All-on-4 também assegura uma maior estabilidade no osso, reduzindo a necessidade de cirurgia de enxerto ósseo para aumentar o volume do osso.
O dentista pode colocar dentes provisórios temporários no mesmo dia após o tratamento e depois de algumas semanas e de tempo de cura, o dentista colocará sua ponte final. A qualidade de vida será melhorada, e o paciente pode começar a desfrutar de seus alimentos favoritos novamente.

O tratamento All-on-4 oferece muitas vantagens.

Para pacientes totalmente edêntulos, próteses tradicionais podem ser uma solução com sucesso limitado. Às vezes dolorosas, inconvenientes e instáveis, as próteses podem dificultar a mastigação. Neste caso a opção de tratamento All-on-4 é mais moderna e segura.

Quanto tempo o tratamento pode durar?

A transplantação de enxerto ósseo leva entre três e seis meses para que os implantes possam ser colocados. Após a colocação dos implantes, é necessário esperar dois a três meses, prazo após o qual já é possível a colocação das próteses fixas. O tempo total de reabilitação é de doze meses.

Quando o procedimento não é indicado?

Quando o paciente possui problemas crônico de saúde como diabetes entre outros.

A odontologia vem inovando cada vez mais para gerar conforto aos pacientes. A clínica sorridente possui profissionais qualificados que vão atrás de aperfeiçoamentos para oferecer aos seus clientes o que há de melhor na medicina dentária. Agora implantes dentários já podem ser feitos sem que haja necessariamente incisões, ou seja, corte com a lâmina. Nos implantes guiados por computador as perfurações são feitas apenas com a broca. Essa técnica de cirurgia guiada já era possível há mais de 30 anos, mas com o uso da tomografia tridimensional e impressão em prototipagem do osso remanescente foi possível aperfeiçoar esta técnica e transformá-la em mais uma inovação da odontologia.

O pós operatório requer os mesmos cuidados da cirurgia tradicional.

Este procedimento apresenta diversas vantagens como a redução do tempo cirúrgico, planejamento integrado prótese implante já no protótipo, a recuperação é mais rápida e não há necessidade de pontos. Todo procedimento é planejado com antecedência em um modelo virtual 3D obtido por meio de uma tomografia tridimensional da arcada dentária do paciente.

Os procedimentos são feitos sem cortes agressivos na gengiva. O planejamento da cirurgia é feito através de um software que especifica com precisão os locais para serem fixados os implantes garantindo maior exatidão e otimização de tempo. Além de todas as vantagens, na cirurgia guiada, por não envolver cortes na gengiva e ser menos invasiva, as dores são praticamente inexistentes e a recuperação é muito mais rápida.

Como é feito o implante?

Através de uma pequena cirurgia que substitui os procedimentos convencionais. O dentista faz uma tomografia computadorizada em três dimensões, envia para um software, que faz uma avaliação da arcada dentária, mostrado onde cada implante deve ser inserido. O cirurgião dentista instala virtualmente os implantes, escolhendo a posição e a inclinação ideal para colocá-los, reduzindo em até 50% o tempo da cirurgia.

Dói fazer implante guiado por computador?

Não. Os pequenos furos feitos na gengiva dispensam a necessidade de pontos. Todo o processo é feito com base no direcionamento do aparelho, dispensando técnicas manuais.

E a recuperação? Como é?

É mais rápida que a convencional. O paciente tem um pós-operatório mais tranqüilo. Isso porque o procedimento é minimamente invasivo. Com apenas um pequeno furo, o dente é implantado. Outro benefício da tecnologia é oferecer ao dentista maior precisão. Isso significa que o implante é colocado exatamente no local planejado, evitando eventuais erros.

Quais são as vantagens do implante em relação às dentaduras?

Com os implantes, você pode sorrir e comer o que quiser, sem medo! E ainda dispensa o uso de adesivos para segurar as próteses. Eles evitam problemas como a insensibilidade do paladar e dificuldades na mastigação, transtornos causados pela dentadura.

Carga imediata em implantes dentários

Todos sabem que o dentista, definitivamente, não é o melhor amigo do homem, quando os procedimentos são necessários, todos querem ficar o menor tempo possível na tão falada cadeira. Buscando maior conforto aos pacientes, a odontologia vem inovando cada vez mais para oferecer tratamentos cada vez mais rápidos e eficazes, neste sentido a implantodontia não ficou para traz e oferece implantes dentários com carga imediata.

Os implantes dentários têm se revelado eficientes na busca pelo sorriso perfeito. Com os avanços da odontologia conseguindo substituir com naturalidade os dentes danificados. O implante dentário é uma técnica odontológica moderna que visa implantar raízes de titânio na arcada ligando-se diretamente com o osso. As novas tecnologias criadas na área tem tornado o procedimento ainda mais competente, permitindo ajustes precisos de acordo com o tamanho ou formato do maxilar. É possível, em casos selecionados, entrar no consultório sem dentes e sair no final do dia com todos os dentes fixos sobre os implantes dentários. Essa tecnologia, conhecida como carga imediata, proporciona uma grande satisfação aos pacientes devido aos rápidos resultados.

O que é carga imediata em implantes dentários?

É uma nova técnica de implante ideal para quem busca uma reposição rápida dos dentes perdidos, recuperando a força mastigatória e elevando a autoestima e confiança. Antes do surgimento da carga imediata um tratamento com implante dentário previa um tempo de espera mínimo de 3 a 6 meses entre a etapa de colocação do implante e a instalação da prótese. Hoje em dia, quando indicado pelo implantodontista esse tempo pode ser reduzido a alguns dias ou até algumas horas dependendo de uma série de fatores como a região que receberá os implantes, o número de implantes, qualidade do osso, entre outros.

A estabilidade primária e o período de cicatrização sem carga dos implantes havia sendo considerado, por anos, importante para permitir a osseointegração dos implantes. Entretanto, estudos recentes mostram que o carregamento imediato aponta altas taxas de sucesso. Apesar das evidências, muitas controvérsias ainda existem sobre a confiabilidade dos dados relatados, frequentemente devido ao insuficiente acompanhamento, inadequado tamanho da amostra e falta de critérios de sucesso bem definidos.

Como normalmente ocorrem os procedimentos de implantes?

Implantes dentários são suportes ou estruturas de metal (normalmente de titânio) posicionadas cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva para substituir as raízes dentárias. Uma vez colocados, permitem ao dentista montar dentes substitutos sobre eles. Por serem integrados ao osso, oferecem muita estabilidade para a colocação de dentes artificiais. Diferente do que ocorre com as próteses móveis.

Nos implantes normais é preciso esperar a cicatrização total deste enxerto, para a colocação dos dentes através de uma segunda cirurgia para ligar o implante ao meio bucal, nesta fase o cirurgião dentista remove a gengiva que está recobrindo o implante e finalmente, um dente artificial (ou dentes) é conectado ao implante, individualmente, ou agrupado em uma prótese que pode se do tipo protocolo (4 a 8 implantes, parafusada e retirada apenas pelo seu dentista que pode ser feita em resina ou porcelana), ou, prótese overdenture (total removível sobre implante, este tipo de prótese é mais barata que a prótese protocolo porque exige menos implantes (2 a 6 em média) e é confeccionada em resina. Esta prótese é como uma dentadura, porém, tem um encaixe em uma barra que conecta os implantes à prótese, conferindo a esta mais estabilidade e retenção. Esta prótese pode ser retirada pelo paciente e por isto a sua higienização é facilitada).

E implante de carga imediata como ocorrem?

No implante de carga imediata a instalação da prótese é feita logo após o implante, sem a necessidade da espera pela cicatrização. A técnica de implantes dentários com carga imediata foi criada há alguns anos para a restauração imediata de pacientes totalmente desdentados, portadores de dentaduras. Nesta técnica, após a instalação de, no mínimo, 4 a 6 implantes, é instalada uma prótese fixa provisória ou permanente. Esta prótese tem função mastigatória. Ou seja, esta prótese já está preparada para entrar em função e participar do processo de mastigação de alimentos imediatamente. Por isso foi criada a expressão implantes dentários com carga imediata.

Só é possível planejar a carga imediata quando o diagnóstico do dentista aponta uma excelente estabilidade inicial na fixação do implante de titânio ao osso. Este diagnóstico é feito após uma rigorosa avaliação e estudo do caso clínico.

Por que fazer um Implante com Carga Imediata?

O Implante de Carga Imediata permite o uso de prótese provisória sobre o pino de titânio, o que torna o período de osseointegração (três a seis meses) bem mais confortável. Possibilita conforto, segurança e com excelente resultado já no início do tratamento. O processo de osseointegração ocorre normalmente com a vantagem de não haver uma longa espera para a colocação da prótese. O paciente espera a osseointegração com uma prótese provisória (dentes instalados), e em alguns casos já pode ser realizada uma prótese definitiva.

Como é feito o Implante com Carga Imediata?

O primeiro passo será realizar uma cirurgia para colocação do pino de implante. Normalmente, a cirurgia de um implante dentário unitário leva cerca de 90 minutos, porém esse tempo pode variar a cada paciente.

Podem ser utilizados em qualquer caso?

Os implantes com carga imediata podem ser utilizados na maioria dos casos de reabilitação oral, coroas em porcelana unitárias, próteses dentárias fixas parciais ou de todos os dentes. Para alcançar o sucesso esperado, este procedimento depende de condições específicas e favoráveis do paciente obtidas a partir de um planejamento criterioso feito pelo dentista

Atenção:

A carga imediata NÃO pode ser utilizada em todos os casos. Existem clinicas odontológicas que prometem verdadeiros milagres, o que não ocorre na prática. Por isso é muito importante a escolha de profissionais muito qualificado e responsáveis, que irão fazer uma avaliação criteriosa de cada caso, buscando a melhor forma de contemplar as expectativas do paciente.

Em que casos podem ser utilizados?

Inicialmente é preciso recordar que cada paciente é diferente. Os implantes de carga imediata são procedimentos que oferecem um excelente resultado, mas referem-se a um processo bastante complexo. Eles podem ser aplicados para a reposição de apenas um dente ou até substituição total de dentadura por dentes fixos, arcada completa com alguns ou poucos dentes, normalmente dentes ou raízes dentárias com doença periodontal, dentes muito cariados ou próteses antigas.

Quem não pode colocar implante?

Pacientes com problemas de saúde que possam comprometer o ato cirúrgico não podem submeter-se ao tratamento, nem mesmo crianças em idade de crescimento. Portadores de doenças ósseas são os maiores restritos, além disso somente pacientes dependentes de álcool ou de drogas e pacientes com inadequados hábitos de higiene bucal.

Implantes dentários são contra-indicados quando há diabetes ou hipertensão?

Desde que este paciente faça controle desta condição e esteja compensado, ele pode ser tratado como um paciente normal e receber seus implantes dentários, restabelecendo uma condição de saúde bucal.

O que é preciso para colocar um implante dentário?

Um implante dentário deve ser colocado com boas condições de saúde geral e bucal, espaço suficiente entre os dentes e osso com boa altura e espessura, a fim de que caiba o implante dentário dentro do mesmo.

Qual a idade que o paciente pode fazer implantes dentários?

O implante dentário já pode ser feito a partir do momento em que é estabilizado o crescimento do indivíduo na adolescência, o que pode ser avaliado pelo dentista. Não existe limite de idade para recebê-los.

Qual é o tipo de anestesia para um implante dentário?

Quando é feita no consultório a anestesia para implante dentário é local, a mesma utilizada para uma extração dentária ou restauração. Quando requer ambiente hospitalar a cirurgia para o implante dentário é feita sob anestesia geral

Quanta dor devo sofrer?

Dependendo do local onde será necessário o implante, a anestesia local pode ser um pouco dolorida (nada insuportável). A colocação de implantes é sem dor. O pós-operatório é tranquilo, as dores pós-cirúrgicas são leves e podem ocorrer 72 horas após o procedimento. Um analgésico de venda livre aliviará o desconforto para a maioria dos pacientes, o dentista normalmente recomenda analgésico,antibiótico, anti-inflamatório e repouso absoluto.

Pode o implante ser usado como alternativa para o tratamento de canal radicular?

Sim! Nem todos os dentes são bons candidatos a tratamento de canal radicular. Os dentes com tratamento de canal radicular são suscetíveis a cárie e a fratura, enquanto os implantes não são suscetíveis a cárie e quase nunca quebram.

O implante pode ser rejeitado pelo organismo?

Existe uma ligeira possibilidade de que o implante não se integre no osso. Se isso ocorrer, o implante é substituído por outro. É altamente improvável que o segundo implante não se integre.

Qual é a aparência da boca durante o tratamento?

 

Durante o tratamento, o dentista faz uso de uma prótese provisória adequada, não deixando os pinos expostos.

Como manter o implante adequadamente depois que o tratamento for concluído?

Os implantes dentários exigem menos manutenção que um dente natural. A manutenção é feita com simples escovação

Quanto tempo dura um implante?

Normalmente dura a vida toda. Entretanto, situações específicas, como trauma facial ou oclusal, podem ter impacto negativo sobre sua longevidade.

Como que é um aumento ósseo do soalho do seio?

Quando um dente posterior superior é perdido, o soalho do seio maxilar penetra no espaço antes ocupado pela raiz do dente perdido. Para se colocar um implante, freqüentemente é necessário fazer o soalho do seio voltar para onde estava originariamente adicionando um substituto de osso sintético. Este procedimento é chamado de aumento ósseo do soalho do seio ou elevação do seio.

O que é expansão do rebordo?

Após a perda de um dente, o osso que se encontrava ao redor do dente é reabsorvido, frequentemente deixando um rebordo de osso extremamente estreito. A fim de colocar um implante, o rebordo do osso é expandido, como se fosse um pedaço de papelão corrugado sendo expandido para proporcionar um espaço mais largo entre cada lado. Para o maxilar, isso é conseguido ao mesmo tempo que o implante é colocado; para a mandíbula, há necessidade de uma segunda consulta cirúrgica aproximadamente três semanas depois.

O que é um enxerto ósseo?

Um enxerto ósseo é um procedimento cirúrgico para acrescentar altura ou largura ao osso maxilar de modo a aumentar seu volume para colocação de um implante.

Pacientes que não tem osso podem receber implantes?

Podem, mas necessitam de um tratamento prévio. Dependendo da quantidade de perda óssea, a reposição pode ser feita com osso da própria boca. Do contrário, pode ser necessário uma cirurgia, em ambiente hospitalar, para realização de enxerto.

Se perder o dente e não colocar a prótese, o que acontece?

Em pacientes normais, o índice de sucesso é de 98%. Nos 2% restantes, a cirurgia pode ser refeita e então a probabilidade de sucesso é quase completa. Em fumantes ou usuários de bebidas alcoólicas, a taxa de insucesso é de 15%.

Se perder um dente, em quanto tempo posso fazer o implante?

Imediatamente. Basta procurar um dentista especializado que ele dará todas as informações de procedimentos.

Possuímos toda estrutura para fazer sua carga imediata com tranquilidade, venha fazer sua avaliação e iremos analisar se o seu caso pode ser resolvido com carga imediata.

Quais são os tipos de enxertos?

Os tipos de enxertos podem ser vários: autógenos, homólogos, heterógenos, aloplásticos ou mistos, sendo que sua utilização seja para prevenir que o tecido mole cresça e invada o espaço que irá servir para o implante, mas sobretudo, que sirva de guia para a formação óssea e para a cicatrização.

Os materiais utilizados nestes procedimentos devem atender a duas exigências fundamentais, como serem imunologicamente inativos e fisiologicamente estáveis, para não causar rejeição ou transmissão de doenças.

Enxertos autógenos

Trata-se da colheita do osso autólogo, o que requer um segundo local cirúrgico. A coleta pode ser intra orais ou extra orais, quer dizer, da própria boca ou de outros ossos do corpo.

Intra orais (ramo, mandíbula ou tuberosidade maxilar) são limitados em termo de volume, o que em casos de severas reabsorções podem não ser suficientes

Extra orais (crista ilíaca, tíbia, costela, calote craniana, rádio) sua grande vantagem é a quantidade de enxerto e se caracterizam pela simplicidade do procedimento e menor risco ao paciente.

Os enxertos autógenos podem ser retirados sob a forma de blocos, de pequenos fragmentos e misturados a outros materiais para melhor aproveitamento de suas propriedades.

Enxertos homólogos

O osso homólogo é um tecido não vital retirado de um indivíduo e transferido a outro da mesma espécie, ou seja, este tecido apresenta fenótipos iguais, porém, genótipos diferentes. Podem ser coletados de cadáveres ou seres vivos a partir do osso ilíaco, fêmur, vértebras, tíbia, úmero ou costelas.

São geralmente denominados por enxerto liofilizado desmineralizado humano (DFDBA) ou matriz óssea desmineralizada (DBM). Podendo substituir os enxertos autógenos, pois são capazes de reforçar a regeneração óssea pela libertação de fatores osteocondutivos

Xenoenxertos ou enxertos heterógenos

São os enxertos em que doador e receptor não são da mesma espécie. Ossos bovinos mineralizados (OBM) são utilizados neste procedimento há muito anos e com enorme sucesso, pois produzem uma formação muito semelhante ao osso medular humano, com grau de porosidade que varia entre 75% a 80% o que permite boa capacidade de incorporação ao tecido.

Enxertos Aloplásticos

Estes tem origem sintética. A maior vantagem apresentada é a de ser produzidos industrialmente e estar disponível em qualquer quantidade. Por outro lado, possui baixo potencial de indução osteogênica e pequeno grau de osseocondução.

Estes materiais têm grande potencial no papel de transportadores ou veículos de substâncias bioativas, como proteínas morfogenéticas de osso e plasma rico em plaquetas.

O objetivo do desenvolvimento dos enxertos aloplásticos é alcançar o padrão dos enxertos autógenos, que por serem caracterizados por uma transposição de tecidos no mesmo indivíduo, não requerem processamento para diminuição de sua capacidade antigênica, mantendo em sua totalidade, o seu potencial de indução osteogênica.

Enxertos mistos

Enxertos mistos ou enxertos ósseos mistos, são definidos como uma mistura de osso autógeno com algum tipo de biomaterial seja ele um osso homógeno, um osso heterógeno ou um aloenxerto. Vários trabalhos levam o cirurgião a optar por enxertos autógenos como primeira alternativa na reconstrução óssea em geral e nas cirurgias sinusais em particular. Porém estudos têm demonstrado que os enxertos mistos podem ser uma alternativa satisfatória para os enxertos autógenos, no tratamento posterior da maxila atrófica.

Em relação aos resultados obtidos com a reconstrução óssea do assoalho do seio maxilar, os enxertos mistos utilizando osso humano liofilizado e osso autógeno têm apresentado excelentes resultados.

Implantes dentários são suportes ou estruturas de metal (normalmente de titânio) posicionadas cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva para substituir as raízes dentárias. Uma vez colocados, permitem ao dentista montar dentes substitutos sobre eles.

Como funcionam os implantes dentários?

Por serem integrados ao osso, os implantes oferecem um suporte estável para os dentes artificiais. Próteses parciais e totais montadas sobre implantes não escorregarão nem mudarão de posição na boca, um grande benefício durante a alimentação e fala. Esta modalidade de prótese é chamada “prótese sobre implante” e confere ao paciente mais segurança em todas as funções bucais proporcionando uma situação mais natural do que pontes ou dentaduras convencionais.

Para algumas pessoas, as próteses e dentaduras comuns são simplesmente desconfortáveis ou até inviáveis, devido a pontos doloridos ou falta de adaptação a estes aparelhos. Além disso, as pontes comuns devem ser ligadas aos dentes em ambos os lados do espaço deixado pelo dente ausente. Com a colocação de implantes não é necessário preparar ou desgastar um dente natural para apoiar os novos dentes substitutos no lugar como é feito em pontes fixas convencionais.

Para receber um implante, é preciso que você tenha gengivas saudáveis e ossos adequados para sustentá-lo. Você também deve comprometer-se a manter estas estruturas saudáveis. Uma higiene bucal meticulosa e visitas regulares ao dentista são essenciais para o sucesso a longo prazo de seus implantes.

Os implantes são, em geral, mais caros que outros métodos de substituição de dentes e a maioria dos convênios não cobre seus custos.

O tipo de implante mais recomendado na atualidade é o ósseo integrado que se mostrou uma revolução no tratamento de pacientes parcial ou totalmente desdentados.

Implantes ósseo integrado: — são implantados por meio cirúrgico diretamente no osso maxilar. O período da osseointegração (integração ao osso) leva em média 4 a 6 meses dependendo da região a receber o implante. Após este período, uma segunda cirurgia é necessária para ligar o implante ao meio bucal, nesta fase o cirurgião dentista remove a gengiva que está recobrindo o implante e finalmente, um dente artificial (ou dentes) é conectado ao implante, individualmente, ou agrupado em uma prótese que pode ser de dois tipos:

Prótese Protocolo — Prótese total implantosuportada e implantoretida, fixada sobre 4 a 8 implantes em média, este tipo de prótese é parafusada e retirada apenas pelo seu dentista, é uma prótese que confere boa estética e é uma ótima opção para quem pretende fugir da dentadura, o único incoveniente é que este tipo de prótese é mais difícil de ser higienizada pois todos os dentes são conectados entre si, exigindo bastante cuidado do paciente. Pode ser feita em resina ou porcelana.

Prótese Overdenture — Prótese total removível sobre implante, este tipo de prótese é mais barata que a prótese protocolo porque exige menos implantes (2 a 6 em média) e é confeccionada em resina. Esta prótese é como uma dentadura, porém, tem um encaixe em uma barra que conecta os implantes à prótese, conferindo a esta mais estabilidade e retenção. Esta prótese pode ser retirada pelo paciente e por isto a sua higienização é facilitada.

O implante zigomático permite que até mesmo pacientes com perda óssea possam ter a terceira dentição completa

A alta tecnologia dos consultórios e a constante capacitação dos profissionais trazem uma série de métodos que garantem total satisfação na hora de sorrir. Se você está procurando um implante dentário com sucesso absoluto, o implante Zigomático é a escolha certa. Indicado para pacientes com perda óssea acentuada e que não querem ser submetidos a enxertos ósseos ou que tiveram reabsorções ósseas severas em toda a maxila. Essa técnica, quando bem empregada, apresenta sucesso e satisfação em acima de 95% dos casos.

Os implantes Zigomáticos são implantes de titânio fixados no osso zigomático, também conhecido como “maças do rosto”, por um acesso intra bucal, eles servem de ancoragem para próteses dentárias e só podem ser feitos na parte superior da boca, ou seja, na arcada dentária superior. A aplicação desta técnica deve ser rígida e criteriosa, devendo sua utilização restringir-se a casos específicos.

IMPORTANTE OBSERVAR: o tratamento deve ser feito por um cirurgião com treinamento específico, acompanhado por um especialista em próteses e um radiologista experiente.

Quais são as principais Vantagens?

Este procedimento é realizado em apenas um tempo cirúrgico, com exceção dos casos em que se faz necessário o enxerto ósseo, é preciso dois tempos, porém esta necessidade é detectada com toda antecedência pelo profissional responsável e o paciente estará preparado.

O tratamento é realizado em poucos dias, cerca de 3 a 4, e o período de recuperação é bem menor que nos demais implantes, cerca de uma semana, dependendo do caso.

Além de todos esses benefícios relacionados a saúde, o implante zigomático também devolve ao paciente o suporte labial, mantendo a estética facial, os lábios simétricos e ainda, traz de volta a sua vontade de sorrir.

Os resultados obtidos são surpreendentes. A eficácia e os benefícios estéticos proporcionados têm deixado os pacientes muito satisfeitos, recuperando a saúde bucal, a eficiência da mastigação e a sensação de sentir o gosto dos alimentos, além de melhorar a qualidade de vida e elevar a autoestima.

Como é feito o implante Zigomático?

Pinos de titânio são fixados no osso zigomático, que é um osso extremamente duro, principalmente se comparados com os ossos da maxila ou ossos enxertados, a estes pinos são associados dois ou até quatro próteses dentárias.

A técnica a ser desenvolvida pode seguir duas linhas: a carga imediata e a carga tardia. Na primeira o paciente recebe o implante e a prótese fixa em poucos dias. Na segunda o paciente deve aguardar aproximadamente quatro meses para colocar a prótese fixa, permanecendo nesse período com uma prótese provisória. A linha a ser seguida dependerá da avaliação do implantodontista que deve observar a qualidade óssea do paciente, sendo que na maior parte das vezes é executada a carga imediata.

Como é a cirurgia?

A sedação é simples, feita em uma única sessão, mas deve ser supervisionada por um anestesiologista. Durante a cirurgia o paciente permanece desacordado até o final do procedimento. Lembrando que a cirurgia é extremamente segura, mas precisa ser feita em ambiente hospitalar e o paciente recebe alta no mesmo dia.

Com o método da sedação o paciente fica mais confortável o que melhora a qualidade do tratamento, garante a segurança do paciente e acelera a conclusão do procedimento além de ser indolor e rápido.

Existem contraindicações?

Não tem contraindicações até mesmo para pessoas com doenças sistêmicas, como hipertensão e diabetes.

O implante zigomático tem algumas particularidades: só pode ser feito para reposição dos dentes da arcada dentária superior e o procedimento é realizado somente no hospital, com anestesia geral. É um tratamento muito seguro e bastante requisitado para pacientes com perda óssea avançada.

Existem implicações pós-cirúrgicas?

Normalmente os implantes zigomáticos não necessitam de cirurgias adicionais, em alguns raros casos é preciso fazer um enxerto ósseo devido a limitações anatômicas na hora de confeccionar as próteses.

O que é perda óssea?

Ao perder os dentes, simultaneamente, com o passar do tempo, perde-se osso maxilar e gengiva. Por isso é importante que a reposição dos dentes seja feita logo após a perda.

Além disso, a perda óssea pode ocorrer devido a fatores como infecções, traumas (acidentes), tratamento cirúrgico de câncer, entre outros fatores. Vale enfatizar que o implante zigomático, também, é recomendado para esses casos.

Um desafio na odontologia

A reabilitação do maxilar superior edêntulo com extrema atrofia óssea, comporta um grande desafio cirúrgico e protético, para os profissionais que se dedicam a esta área.

Quando o paciente não possui estrutura óssea para que sejam feitos os implantes tradicionais, a abordagem tradicional seria a técnica de enxerto ósseo. Essas técnicas requerem cirurgias extensas e invasivas

Com o surgimento dos implantes zigomáticos elevam-se as chances de nova composição dentária para aqueles pacientes com deficiência e perda óssea. Um novo sorriso com estabilidade e longevidade e grande qualidade estética, recuperando as funções orofaciais e a autoestima através de um tratamento rápido, menos invasivo e custos acessíveis

Esta técnica é recente, tem cerca de 15 anos, até aqui foram feitos muitos aperfeiçoamentos e testes e até então os pacientes tem relatado grande satisfação e bem estar.

Estudos e acompanhamentos de casos

Já no início da aplicação desta técnica inovadora, estudiosos avaliaram o uso da fixação zigomática depois de cirurgia de tumor com ressecção do osso maxilar. Foi requerida a reconstrução protética imediata sem enxerto.

A tomografia computadorizada auxiliou no planejamento pré-operatório e após o período de 6 a 8 meses, a avaliação foi de que apenas 5,6% sofreram complicações clinicas pós-operatórias, isso quer dizer, 1 paciente entre 18 nos quais o procedimento foi testado

Com as adaptações das técnicas utilizadas e a tecnologias investidas, podemos afirmar que hoje a margem de reprovação do implante zigomático diminuiu consideravelmente e o procedimento tornou-se de total segurança e confiabilidade.

Implante imediato é aquele que é feito logo após a extração (exodontia) do dente natural. O implante é a melhor missão reabilitadora da odontologia comprovada e consagrada com pacientes satisfeitos, seguros e autoestima elevada.

Com o implante imediato uma série de complicações futuras podem ser evitadas. Com a extração do dente natural, a arcada tende a fazer uma movimentação óssea para ocupar o espaço vazio e modificar toda a mordida, alterando a posição original da boca.

Se o paciente optar por um implante imediato, em uma só cirurgia ele retira o dente e já o repõe com a prótese. Essa ação manterá a estrutura da arcada, largura e altura do dente e o que é mais importante: o osso preservado o que aumenta o sucesso para tratamentos posteriores.

E se preferir deixar para mais tarde, esperar a extração cicatrizar primeiro?

Esse é um grande erro do qual muitos pacientes escolhem, por achar traumatizante a cirurgia ou mesmo por questão de economia, optam por fazer a extração e deixar o implante para um segundo momento. Neste caso está abrindo precedentes para a criação de um terceiro problema que é o que citamos acima, a reabsorção óssea.

O paciente terá que passar por uma nova cirurgia, novo trauma, novo desconforto e nova reabilitação, por isso que é tão importante resolver de uma só vez o problema do que protelá-lo.

Veja bem, se muito tempo se passar, o dano pode se tornar irreversível, quando falamos em reabsorção, incluímos que osso e tecido podem encolher, quer dizer que o volume e espaço podem se tornar insuficientes se o paciente optar para deixar para mais tarde.

E se tiver mais de um dente para repor?

Isso é muito importante, se a falta de um dente já pode alterar toda a boca, imagine a falta de dois ou mais. O ideal é conversar com seu dentista e negociar uma forma de fazer os procedimentos o quanto antes.

Se no primeiro procedimento o paciente optar pelo implante imediato, no segundo terá toda a arcada preservada e será muito tranquilo extrair e implantar novo dente, mas se for o contrário, é o mesmo que adquirir um problema sequencial. Pense em um dominó, se cair uma peça, as demais também irão cair, quer dizer que se houver movimentação de um dente para completar espaços vazios, todos os demais irão seguir esta sequencia. Esta vendo? Ficará cada vez mais difícil colocá-los de volta.

Estética é qualidade de vida!

Vamos falar do nosso cartão de visitas, nosso sorriso, nossa porta da frente, o implante imediato evita uma série de prejuízos estéticos. Sabemos que cada caso é diferente, mas como vimos acima, com a ausência de um dente a arcada dentária sofre movimentação e alteração da mordida, isso pode além de prejudicar o sorriso, pode causar alterações até mesmo na face. Veja bem, não estamos falando de mudanças bruscas, elas acontecem com o passar do tempo, então podem ser pouco percebidas num primeiro momento, mas certamente não passam impunes.

A colocação de um implante no local do dente perdido evitará transtornos e deixará um dente bonito e aparentemente bem natural naquele espaço. Sem falar da autoestima, cada um sabe os prejuízos que uma imagem desleixada pode causar. E quanto ao quesito segurança, este já está superado, um implante proporciona total seguridade ao paciente, longe de riscos de cair e sem qualquer restrição na alimentação.

Quais as vantagens do implante imediato?

Esse procedimento reduz o trauma ao paciente, requer apenas uma cirurgia, facilita a osseointegração, acelera o tempo de cicatrização e evita movimentação óssea que acontece naturalmente com a ausência do dente que ocasiona uma abertura de espaço na arcada. Além disso, preserva a arcada, e reduz perdas e retrações gengivais. Reduz tempo e custo.

O que é um implante?

Implante é um cilindro de titânio, em formato de parafuso, do mesmo tamanho do dente original, inserido no osso da maxila ou mandíbula no local onde ficava a raiz do dente.

Calma, logo que o implante estiver completo aí acontece a colocação da carga imediata, que é a colocação da faceta, que é aquela coroa que imita o dente natural.

A cirurgia é muito complicada?

Não, a maioria dos procedimentos são feitos no consultório do dentista, a anestesia é local e nos casos de implante imediato raramente precisa de enxertos ósseos. Isto é, a retirada de osso de outro local para reposição do espaço na arcada.

Esqueça a lenda de que implante dói e não é seguro ao paciente, isso já foi superado há vários anos com inúmeros avanços de pesquisas científicas e clínicas. Atualmente os índices de sucesso em cirurgias de implantes dentários alcança quase 100% dos casos.

Implante e prótese são dois procedimentos?

Não, o procedimento é a implantação do pino que será o substituto da raiz. Sobre esse pino é parafusado uma prótese, que terá a função e aparência da coroa do dente, não são procedimentos separados, mas são materiais diferentes com diferentes funções.

Prótese sobre implante:

Agora vamos falar da carga imediata, hoje é possível que você entre no consultório com um dente prejudicado e saia com outro novinho. É claro que tudo isso depende de planejamento, afinal dentista não é mágico, mas não está muito longe disso. A carga imediata é a prótese provisória que o dentista coloca sobre o implante, antes de confeccionar a prótese definitiva.

Feito o implante que será a nova raiz do dente, é preciso colocar (parafusar) sobre ele uma prótese que comummente é feita de porcelana.

Qual a idade apropriada para este procedimento?

Somente adultos, é preciso que a formação mandibular tenha sido completa, e com boa condição orgânica do osso.

Em idosos: Em pessoas com idade muito avançada que estão com os ossos comprometidos, não é indicado. A eles aconselhados à colocação de prótese protocolo, que não é aparafusada ao osso.

Em adolescentes: Se por algum acidente, um jovem que acabou de trocar a dentição, quebrar um ou mais dentes atingindo a raiz, em idade em que ele ainda não está com a formação mandibular completa (menos de 17 anos) e não tem a condições apropriadas para um implante, será necessário esperar completar o crescimento para depois fazer o procedimento. Nesse caso o dentista coloca uma prótese provisória móvel (um aparelho), para não prejudicar o posicionamento dos dentes.

Prótese protocolo devolve a função oral

Originalmente as próteses foram desenvolvidas com a função de produzir conforto, com o tempo e a ascensão de novas tecnologias, as próteses totais fixas, também conhecidas como próteses protocolo ou protocolo sobre implante foram se tornando opção de tratamento e estética. Os pacientes inválidos orais (ausência total de dentes) obtiveram uma solução eficiente com osimplantes dentários fixos que é a função mastigatória de volta. Com o sistema comum de dentadura o paciente tem somente cerca de 20% de sua capacidade de mastigação, já com o protocolo fixo sobre implantes esse percentual sobe para 85%.

Um Planejamento e um bom diagnóstico, focados no desejo do paciente, são fundamentais para a estabilidade da prótese além da sua eficiência e retorno desejado. O Implante de Protocolo Fixo é prótese instalada sobre pinos de implantes de todos os dentes que proporcionam uma reabilitação bucal nas funções: estética, fonética e mastigatória. A partir de que idade pode ser instalado um implante dentário? A idade mínima do paciente candidato ao tratamento com implantes é em média acima de 18 anos e que já concluiu a fase de crescimento ósseo.

Como é funciona o protocolo sobre implantes?

O procedimento para fazer um Implante de Protocolo Fixo é bastante complexo, mas traz inúmeras garantias ao paciente. Depois de instalar os Implantes, (pino de titânio que substitui a raiz do dente), o cirurgião-dentista irá fixar a prótese sobre os Implantes já cicatrizados. Este período pode variar conforme a capacidade de cicatrização de cada um, dependendo condições específicas a prótese poderá ser instalada no mesmo procedimento chamado de implante com carga imediata. O dentista confecciona os moldes e depois de pronta a prótese, realiza uma série de testes necessários para determinar a altura, tamanho e formato dos dentes antes de fixar a prótese nos pinos do implante.

Logo após o tratamento há um período de adaptação em que o paciente terá que enfrentar dificuldade na mastigação e ingestão de alimentos, na higiene bucal, além de realizar cuidados específicos para evitar infecções. Ele também terá uma pequena interferência na fala, mas estes riscos são bem menores do que se o paciente não realizar um implante de Protocolo Fixo e o tratamento de reposição de dentes perdidos. Sem contar com os problemas emocionais e baixa estima sofrida pela ausência de dentes que sem o tratamento somente irão se agravar. A reabilitação da saúde bucal através do Implante é uma solução eficaz, segura, duradoura e que agrada aos pacientes. O dentista direciona o paciente ao acompanhamento pós cirúrgico e observa no pós implante a presença ou não de infecções e orienta o paciente quanto à higiene e exames que devem ser feitos.

Oclusão em Prótese tipo Protocolo

Sempre que for necessário reconstruir os movimentos dos maxilares, deve haver a preocupação de proteger os dentes posteriores de contatos fechados em relação ao eixo (axial), garantindo uma simetria da mandíbula, uma vez que a maior concentração de forças musculares se desenvolvem no segmento posterior da arcada. Um dos desafios quando se inicia um tratamento de implante é alinhar corretamente as peças. Dessa forma, o tempo de conclusão do tratamento pode se prolongar bastante. Com a prótese protocolo o processo é mais simples. Por utilizar uma única peça, em que se reproduz toda a arcada, os riscos de os novos dentes se desalinharem são mínimos. Isso reduz o tempo do procedimento, além garantir uma cicatrização mais rápida.

A Sinus Lift é um processo que auxilia na reabilitação da arcada dentária, restaurando osso perdido com seu próprio osso natural. Sinus lift projeta a elevação do seio maxilar com enxerto ósseo, que através de procedimento cirúrgico visa aumentar a quantidade de osso na região posterior da maxila.

Atualmente os implantes dentais, estão sendo usados em grande número de pacientes edêntulos totais ou parciais. No entanto, é necessário uma quantidade mínima de tecido ósseo para a inserção de um implante com comprimento e espessura seguros para suportar as forças oclusais; o que nem sempre é encontrado.

Por isso, técnicas de aumento de rebordo alveolar e levantamento de seio maxilar foram desenvolvidos para viabilizar o uso dos implantes.

O que é Seio Maxilar?

Na face temos 4 tipos de seios: frontal, esfenoidal, etmoidal e maxilar. Dentre eles, o maxilar é o mais importante nas cirurgias de preenchimento para posterior colocação de implantes.

O seu tamanho varia de indivíduo para indivíduo, mas, em média, no adulto apresenta 35mm de base e 25mm de altura.

O levantamento do seio maxilar, ou sinus lift, é uma técnica cirúrgica simples que tem a finalidade de reabilitar áreas edêntulas do maxilar posterior com reabsorções ósseas.

Por quê fazer enxerto ósseo?

Quando um dente natural é perdido, o processo alveolar começa e se remodelar. A área sem dentes, denominada de cume, que, naturalmente perde altura e largura ao longo do tempo e o nível do chão do seio maxilar gradualmente torna-se menor, o que conduz a uma perda de volume do osso que está disponível para implantes que se baseia em uma osteointegração.

Para recuperar a arcada dentária e ter um sorriso completo e natural novamente, é necessária esta reabilitação que somente é possível com enxerto ósseo.

Este procedimento é seguro?

As técnicas e materiais utilizados para estes procedimentos vêm melhorando constantemente, tornando o enxerto ósseo para levante do seio maxilar um dos enxertos mais bem sucedido.

A elevação da mucosa sinusal tornou-se mais segura e previsível depois da inovadora técnica de elevação do assoalho do seio maxilar através do BSL _ Balão para Sinus Lift. Com esta nova prática a reabilitação da área de enxertos e implantes tornou-se mais fácil.

O BSL contempla técnicas já usadas como Caldwell-Luc e Summers e mostra-se mais efetivo. O balão tornou o descolamento e elevação da mucosa sinusal mais eficiente e seguro, dando ao profissional mais segurança e previsibilidade no procedimento.

O que é Balão para Sinus Lift?

O BSL, Balão para Sinus Lift, é um dispositivo cirúrgico. Trata-se de uma seringa conectada a um minibalão inflável de látex hipoalérgico (balão disponível em 3 modelos de bicos diferenciados para cada tipo de incisão) que, uma vez insuflado com uma injeção de soro fisiológico, deslocará e elevará a mucosa sinusal, substituindo as tradicionais curetas.

O BSL oferece uma técnica pouco invasiva, sendo necessária uma osteotomia não maior que 6mm de diâmetro para qualquer tamanho de seio maxilar. A vantagem de usá-lo está na possibilidade de preestabelecer o volume de enxerto ósseo e a altura de elevação da mucosa sinusal é de reduzir a duração da cirurgia e minimizar os efeitos pós-cirúrgicos e riscos de perfurações da mucosa sinusal. Bom para o profissional, bom para o paciente!

Qual técnica é utilizada?

A Técnica da janela lateral proposta pelo Dr. Tatum

Esta técnica visa aumentar a altura do seio maxilar, permitindo um ganho ósseo em altura vertical entre 5 e 12 mm, colocando o enxerto no assoalho abaixo da membrana do seio maxilar. Desta forma, é realizado um retalho mucoperiostal na crista alveolar para a exposição da parede óssea lateral da maxila. Em seguida é feita a osteotomia com brocas diamantadas de corte, então a janela óssea é removida. Assim que a perfuração estiver completa o enxerto é colocado.

A Técnica da janela lateral proposta pelo Dr. Summers

Esta preconiza a utilização de osteótomos (instrumentos de formato cilíndrico com extremidade côncava) que tem a função de deslocar o osso alveolar para dentro da cavidade sinusal, elevando o assoalho, o periósteo e a membrana do seio maxilar com o mínimo de trauma e sem que ocorra a perfuração da membrana sinusal, uma vez que não há contato direto entre esta e os osteótomos.

O osteótomo é inserido dentro do osso maxilar comprimindo o osso e empurrando- lateralmente e preparando o local para fixar o implante.

Sobredentaduras ou Overdentures

Também conhecida como sobredentaduras as Overdentures são próteses sobre implantadas que recuperam a porção dental perdida, o rebordo alveolar e ainda proporcionava suporte aos músculos da face. Apesar de ter sido lançada na década de noventa, este tipo de técnica ainda hoje é utilizada, mesmo com o advento de inúmeras inovações tecnológicas na ortodontia como o caso dos implantes dentários inclinados, do princípio da ancoragem em Implantodontia e da técnica all-on-four.

Funcionamento das Sobredentaduras

As overdentures fazem uso de soldadura biológica, que são implantes dentais osseointegrados, raízes artificiais implantadas no osso, que criam uma base sólida, possibilitando que sobre esta seja colocada uma prótese dental totalmente removível. Fixam-se no interior da boca, possuem uma capsula na parte interna da sobredentadura, e, por meio de botões de encaixe que são fixados no o implante dental resultam em uma prótese confortável e esteticamente agradável.

Indicações da Sobredentadura

Esta espécie de sobredentadura é indicada principalmente para pessoas com dificuldades em manter dentaduras instáveis, que se movem, o encaixe existente entre o implante dental e a overdenture, propicia que o paciente tenha facilidade para remover a dentadura no momento da higienização, e quando a mantém no interior da boca, esta, permanece fixa dando maior comodidade ao paciente. Em outro passo, para o implante de uma prótese fixa, é minimamente necessário tecido ósseo suficiente para a colocação de cinco a seis implantes, e estas muitas vezes não propiciam o completo restabelecimento das dimensões faciais, das referências fonéticas, dos tecidos moles peri-implantares e do volume muscular da face.

Vantagens das Overdentures

Deve-se sempre lembrar de que o paciente que busca uma dentadura quer manter as feições faciais, e de aparência pouco ou nada modificadas. Um dos grandes desafios dos ortodontistas atualmente é primar pela perfeição de seu trabalho, dando ao paciente a satisfação em recuperar um sorriso jovial, mesmo com o uso de overdentures. Para restabelecer as dimensões faciais, que em muitas vezes se demonstra modificada com a utilização de próteses totais fixas, é necessário efetuar uma série de procedimentos de enxertos de tecido mole e duro previamente à colocação dos implantes, além de cirurgias plásticas para providenciar correções na face. Esses procedimentos são demorados e as intervenções cirúrgicas são de grande impacto. As overdentures em poucas seções são implantadas, já as “fixas” demoram meses para apresentar a finalização do processo.

Overdenture Vs. Protocolo

As diferenças entre a sbredentadura ou overdenture e o protocolo fixo são imensas, no entanto a facilidade de o paciente de higienizar as overdentures é deveras maior. Na prática, o paciente apenas retira, limpa e encaixa novamente. Já quem opta pela incorporação de implantes fixos se depara com acúmulos de alimentos nas próteses e há imensa dificuldade em efetuar a limpeza sem o auxilio de um dentista. De acordo com estudo realizado pela USP-Fundecto, um paciente que utiliza uma overdenture há aproximadamente quatro anos, não tem intenção de substituí-la por uma prótese fixa do tipo protocolo, afirmando estar completamente adaptado e satisfeito, recusando-se a implantar “dentes fixos”, uma vez comparando os riscos e desgastes cirúrgicos que enfrentaria ao optar pela troca.

Observa-se, pois, que apesar dos avanços tecnológicos no meio ortodôntico, os implantes, utilizando-se da inclinação dos mesmos, buscando um princípio de ancoragem, para proporcionar a utilização de menor numero de fixações com a finalidade de suportar uma prótese fixa, a chamada técnica all-on-four, quando utilizada neste tipo de procedimento, se demonstra amplamente eficiente. Conseguindo-se assim o suporte necessário para uma prótese protocolo com um numero bastante inferior aos de implantes do que os utilizados em outras técnicas. Porém, apesar de esta inovação facilitadora com relação ao numero de implantes, no que diz respeito a limpeza dental, não houve até o presente a extinção dos problemas com a higiene, bem como os de adaptação e principalmente de custos. Uma prótese fixa dental é claramente mais custosa que a implantação de uma overdenture

Podemos concluir que, as overdentures ainda permanecerão nas praticas ortodônticas por bastante tempo. Estas são especialmente adequadas nos casos de pacientes que em transição de uma prótese totalmente móvel para uma do tipo protocolo, seria o caminho do meio, uma modificação menos brusca. Recomenda-se ainda, para aqueles com menor condição socioeconômica, infinitamente menos custosa do que uma prótese protocolo. As próteses do tipo protocolo normalmente trazem transtorno de adaptação, por isso, na fase de planejamento com o paciente, será sempre necessário repassar as possibilidades de má adaptação. Neste sentido vê-se que a utilização das overdentures ainda é uma boa solução, mas sempre com a recomendação de dentista.

Enviar mensagem
1
Estamos online!
Oi, tudo bem?
Em que podemos te ajudar?